Skip to main content

O que é um Learning Pod?

 

Um dos maiores desafios relatados por diversos aprendizes –– e talvez você seja um desses –– é colocar o conhecimento em prática!

Pegando emprestado a definição do Conrado Schlochauer, fundador da Novi, aprender é “a explicitação do conhecimento por meio de uma performance melhorada”. Ou seja, aprender é fazer algo melhor do que antes. Aprender é mudar o nosso comportamento.

Porém mudança implica em energia, esforço e desafios.

Na era da informação, acesso ao conhecimento já não é mais um problema. Mas será que estamos fazendo bom uso desse conhecimento?

A infoxicação gerada pelo excesso de possibilidades fez com que extrair sentido e colocar em prática o conhecimento se tornasse ainda mais desafiador.

Possuíamos acesso a livros, cursos, congressos, eventos e muitas outras fontes de aprendizagem. Mas como fazer com que esse conteúdo agregue valor real em nossas vidas?

Como levar os aprendizados do Festival Raiz e manter acesa as chamas do conhecimento?

É aqui que os Learning Pods entram como uma solução!

 

O quê?

Os “Casulos de Aprendizagem” ou Learning Pods, são grupos de pessoas que se apoiam no processo de aprendizagem, através de incentivo, reflexão, aprofundamento e troca entre os membros.

É possível diferenciá-los de acordo com o tamanho da comunidade em questão:

  • Times de trabalho (laços fortes): grupos de até 10 pessoas com alto vínculo e confiança, onde as pessoas conseguem dar sentido ao aprendizado levando a alguma ação que nos ajuda a perceber como praticar o que aprendemos.
  • Comunidades (laços fortes e fracos): grupos de até 30 pessoas, com espaço de segurança para que haja diálogo, divergência de ideias e aprofundamento; que nos ajuda a filtrar o que aprendemos e a levar o aprendizado à experimentação.
  • Ecossistemas (laços fracos): grupos de mais de 30 pessoas, com oportunidade de troca entre pessoas diferentes em curtos espaços de tempo ampliando nossas visões e perspectivas. Aqui a diversidade é fundamental para o aprendizado.

Por quê?

Os motivos para formar um são vários:

  • Para ter um grupo de apoio para experimentar os conceitos apreendidos no festival na prática;
  • Para cultivar um ambiente de qualidade para dar significado ao aprendizado;
  • Para aprofundar a relação e conexões com pessoas que compartilham de desafios parecidos;
  • Para aprofundar a relação e conexões com pessoas do mesmo interesse;

Como?

Crie uma cultura de reconhecimento constante uns dos outros

    • Ajude as pessoas a ver aonde querem chegar “o que você se vê fazendo diferente? Em quanto tempo? E quais os marcos no meio do caminho?
    • Ajude as pessoas a perceber que estão avançando. Pergunte ao final dos encontros: o que celebro, qual o principal aprendizado que tive, o que avancei?
    • Fomente uma cultura de pedido e oferta de ajuda: “Tem algo que posso fazer para te apoiar a chegar no seu objetivo?”
    • Crie um dia de celebração como marco para todos compartilharem um experimento ou conteúdo gerado com os aprendizados do Learning Pod.A partir de agora, vamos compartilhar 5 passos fundamentais para você formar seu learning pod e potencializar o aprendizado do seu grupo durante e após o festival.

 

1º passo: definições básicas

O primeiro passo para desenhar seu Learning Pod, é fazer algumas definições básicas:

  • Nome do seu Pod;
  • Se você vai anfitriar sozinho ou terá um(a) coanfitrião(ã) com você;
  • Periodicidade (o ideal é que os encontros sigam um padrão de dia da semana e horário);
  • Quantidade de encontros;
  • Duração dos encontros;
  • Plataformas de contato para melhorar a comunicação (WhatsApp, Telegram, Discord, etc.).

2º passo: formação do grupo

Atrair pessoas para participar do seu Learning Pod é muito importante. Como você pode atrair pessoas para o seu pod?

  • Convide pessoas do seu time de trabalho: recomendamos muito que organizações assistam o festival juntas e aproveitem do conhecimento gerado para experimentar novas formas de trabalhar juntos.
  • Faça uma lista de pessoas e envie convites direcionados e privados: as pessoas respondem melhor a convites quando são individualizados e quando você conta para elas porque está convidando
  • Poste nas suas mídias sociais: muitas vezes não temos ideia de quem pode se conectar com o que estamos fazendo, a menos que a gente coloque a boca no mundo (use nossos posts dos learning pods a vontade)

3º passo: criando e compartilhando uma intenção

Temos três intenções de pod’s possíveis, usando como base o modelo proposto pela ecoliteracia (head, heart and hands). Você pode utilizar algum desses, misturar ou criar um novo!

  • Head (visões de mundo): o objetivo é explorar um conteúdo profundamente, ampliando referências e visões de mundo.
  • Heart (comportamentos): criar vínculo de segurança e apoio para transformação pessoal e desenvolvimento de novos comportamentos de confiança, coragem, empatia, flexibilidade etc.
  • Hands (experiência prática): o objetivo é criar projetos ou ações que exploram o tema através da experiência.

4º passo: crie perguntas-geradoras como faísca para as conversas

Você pode utilizar de diversas perguntas ou propostas de atividades no seu learning pod. Aqui estão alguns exemplos para você se inspirar:

  • Quais foram seus 3 principais insights com o conteúdo ou com a sua experiência?
  • Qual o seu principal desafio de conexão?
  • O que você gostaria de fazer melhor ou diferente após esse experimento?
  • A partir do que conversamos, qual é o seu pensamento mais fresco?
  • Quais padrões eu percebo entre o que foi conversado?
  • Quais perguntas emergiram pra você?
  • A partir do que conversamos, o que te parece mais importante para agora?
  • Qual movimento esses aprendizados te trouxeram?
  • Que ideias e ferramentas podemos aplicar em projetos, a partir das conversas e experimentos?
  • Como podemos continuar aprendendo?

5º passo: celebração e marcos de aprendizagem

Participar de uma comunidade precisa ser uma escolha, e para isso precisamos sentir que estamos avançando em algum propósito.

Celebrar os avanços de aprendizagem a estimular a identificação de pequenos marcos do seu avanço, é importante para sustentar engajamento dentro de qualquer comunidade.

Reunimos aqui algumas dicas:

    • Crie uma cultura de reconhecimento constante uns dos outros
    • Ajude as pessoas a ver aonde querem chegar “o que você se vê fazendo diferente? Em quanto tempo? E quais os marcos no meio do caminho?
    • Ajude as pessoas a perceber que estão avançando. Pergunte ao final dos encontros: o que celebro, qual o principal aprendizado que tive, o que avancei?
    • Fomente uma cultura de pedido e oferta de ajuda: “Tem algo que posso fazer para te apoiar a chegar no seu objetivo?”
    • Crie um dia de celebração como marco para todos compartilharem um experimento ou conteúdo gerado com os aprendizados do Learning Pod.

A fonte desse guia foi o material criado pelo Instituto Amuta. Créditos reservados à eles ❤️

Além desses passos compartilhados, disponibilizamos também um modelo de roteiro para encontros de Learning Pods, caso você precise: clique aqui

Nós do Festival Raiz sabemos da potência que uma comunidade de aprendizagem possui. Grupos de aprendizes autodirigidos e engajados tem um grande poder de transformação sobre si mesmo, o outro e o mundo!

Por isso, queremos saber quais são as transformações que você e seu Learning Pod estão gerando! Nos encontros do seu Pod tire uma foto, marque o @raiz.festival e use as hashtags #autodireçãoéaraiz #festivalraizdaautodireção. Compartilhe com o mundo essa experiência ❤️.

Caso você queira experimentar um Learning Pod após o Festival Raiz, sentir na pele essa força e manter acesa a chama dos aprendizados clique aqui.

Davi X Rodrigues

Author Davi Rodrigues

More posts by Davi Rodrigues

Leave a Reply